Loading...
Dicas para Passear: Hong Kong
K11 Musea: o Shopping-museu de Hong Kong

K11 Musea: o Shopping-museu de Hong Kong

K11 Musea — Salisbury Road nº 8, Tsim Sha Tsui. Hong Kong, China.
+852 3892 3890

Estamos em Hong Kong, China.

O estilo industrial, urbano e agressivamente comercial se espalha em todas as direções. É neste cenário que um ponto verde se destaca.

Construído à beira-mar, ergue-se um gigantesco edifício. Sua área externa é preenchida com jardins e piscinas em diferentes níveis. São verdadeiros paredões verdes que vestem um grande centro comercial.

Receba nossos posts em seu e-mail



    Dentro do edifício, nos perdemos entre o que são lojas ou exposições genuínas de arte contemporânea. É um novo conceito de Shopping e um novo conceito de museu.

    Estamos falando do K11 Musea, em Victoria Dockside.

    K11 Musea: o Shopping-museu de Hong Kong
    K11 (no cento inferior da fotografia) foi construído em Victoria Dockside, um distrito planejado e que representa a mudança na arquitetura de Hong Kong | Imagem de divulgação K11 Musea

    CONTEXTO

    A grande cidade tem uma controversa história de disputa política com a China continental. Tomada e colonizada pelos britânicos por pouco mais de um século, foi devolvida à soberania chinesa em 1997. Mas a devolução aconteceu com uma condição: Hong Kong teria soberania administrativa, independente e capitalista, por 50 anos.

    Por isso temos uma China continental sob comando do partido comunista e a região de Hong Kong com administração autônoma. Até mesmo o sistema judiciário é diferente nos dois territórios. É o que foi chamado de “um país e dois sistemas”.

    A partir da história entendemos por que grandes arranha-céus predominam na cidade, cercadas por fábricas e comércios em estilo ocidental. É uma paisagem referida comumente como “onde o ocidente encontra o oriente”.

    Porém Hong Kong demanda uma nova identidade. A questão é que as novas gerações de jovens chineses buscam mais sustentabilidade, arte e luxo em seus espaços de convívio. Por isso Hong Kong está mudando. E encontramos perto do mar o maior exemplo dessa mudança.

    K11 Musea: o Shopping-museu de Hong Kong
    A experiência do Musea já se inicia na área externa. Pensando na geração Millenial, foram projetados corredores com jardins e peças produzidas por artistas de todo o mundo. | Imagens de divulgação K11 Musea

    O K11 MUSEA

    Na costa de Hong Kong, um grande investimento imobiliário deu forma ao distrito de Victoria Dockside. O empreendimento, desenvolvido pela companhia New World Development (NWD), recebeu aporte de 2.6 bilhões de dólares.

    É um distrito planejado e arquitetado pela KPF Arquitects. É um local que une soluções de hotelaria, escritórios e exposições culturais. O distrito é dominado por jardins públicos e arquitetura heterogênea. Materiais como vidro, pedra e metal destacam seu propósito luxuoso.

    O K11 Musea pode ser mais bem definido pelo seu nome: uma junção dos termos Museum (museu) + Sea (mar).

    Apesar de ser um Shopping, o Musea rompe com as expectativas do que é um Shopping tradicional. O Musea optou rompeu com a estética genérica através de uma arquitetura ousada e espaços de exibição artística.

    O carro chefe do Shopping são grandes marcas de luxo e seu projeto viabilizou uma harmonia delicada entre as fachadas de lojas e as obras artísticas nada habituais.

    K11 Musea: o Shopping-museu de Hong Kong
    O próprio ritmo vertical do interior é uma obra a parte: Os óculos, claraboias circulares de aço e vidro, se conectam ao chão através de andares e escadarias de formato orgânico | Imagem de divulgação do K11 Musea

    OS LÍDERES DO PROJETO

    O K11 Musea foi concebido graça a um dos principais executivos da NWD, o Adrian Cheng.

    Adrian Cheng já desenvolveu diversos outros projetos disruptivos como a Art Malls, o Ateliers e o terrário K11 Natural. Além de CEO da empresa, é fundador do K11 Group.

    Fundada em 2008, a K11 Group investe em inúmeros setores. O grupo define-se como uma organização centrada em três valores principais: arte, natureza e pessoas.

    Cenas de diversas exposições desenvolvidas pela K11 Group. Como pode ser visto nas cenas, a empresa insere espaços que unem cultura & arte em ambientes tipicamente varejistas | Imagens de divulgação K11 Group

    Para este projeto, o grupo selecionou diversos escritórios de arquitetura. Entre eles estão o escritório Kohn Pedersen Fox (KPF), a Laab Architects, a P Landscapes e a James Corner Field Operations (responsáveis pelos jardins externos). A direção geral do projeto ficou sob a tutela dos arquitetos da Ronald Lu & Partners, sediados em Hong Kong.

    Os novos consumidores são o principal foco de David Cheng. E não apenas para ele. Houve um grande salto na qualidade da educação, empregos e salários na China. Com isso, uma nova geração de consumidores — formado principalmente pela geração Millenial — despontou como alvo das ações de mercados dos principais investidores chineses.

    A novidade é que estes consumidores estão em busca de novos espaços onde possam encontrar ambientes menos poluídos, mais naturais, com serviços que integrem arte e luxo. O K11 propõe unir todos estes aspectos num único local.

    K11 MUSEA será o novo destino cultural de Hong Kong e da Ásia, onde os millennials do mundo inteiro poderão se unir e descobrir sua musa.

    Adrian Cheng, fundador do Grupo K11
    K11 Musea: o Shopping-museu de Hong Kong
    Vistos à distância, não é possível entender a escala real dos jardins que preenchem os espaços externos do Musea. São amplos espaços de flora a céu aberto. | Imagem de divulgação K11 Musea

    O INTERIOR DO K11 MUSEA

    É difícil abordar o trabalho desenvolvido no interior do Musea sem destacar a iluminação. Esta etapa do projeto foi desenvolvida pela equipe Speirs + Major, sediada em Londres.

    Para a Speirs + Major, o projeto teve caráter inédito. Havia nele um desafio peculiar de desenvolver o que definiram como “atmosfera independente e memorável” dentro de um espaço híbrido de venda de produtos e ambiente cultural.

    O briefing pedia uma atmosfera que normalmente não estaria associada a um shopping center. “’Sob medida’, ‘Bem-vindo’, ‘Artesanal’ e ‘Contraste’ foram todas as palavras-chave. Nosso cliente imaginou o K11 Musea como um ambiente criativo com uma atmosfera independente e memorável – um lugar onde as pessoas se sentiriam relaxadas, mas inspiradas. Nosso trabalho era oferecer isso em uma série vasta, complexa e extremamente variada de espaços.

    Keith Bradshaw, Diretor da Speirs + Major

    Como parte da estratégia, fizeram uso de esferas de cristal. Elas variam em tamanho e quantidade a depender do ambiente onde estão instaladas. Desta maneira, a iluminação controla os locais que recebem mais ou menos destaque, tal como direciona o olhar do visitante.

    Dentro das lojas e espaços, a equipe da Speirs + Major trabalhou em conjunto com artistas e lojistas. Dessa forma, adaptaram a intensidade da luz conforme as texturas e cores de cada ambiente.

    K11 Musea: o Shopping-museu de Hong Kong
    O trabalho da Speirs + Major encontra o ápice no “Opera Theatre”, onde está instalada uma enorme esfera dourada. A esfera em si e seu jogo de luzes preenchem o vazio e ocupam cinco andares. | Imagem de divulgação K11 Musea

    VAREJO & ARTE

    O projeto do K11 Musea propôs e edificou um novo conceito de Shopping, adaptado às novas gerações.

    Não é um projeto totalmente sustentável, porém o Shopping alcança um feito e tanto em relação ao tema. O impacto ambiental foi reduzido graças a estratégias como a adoção dos paredões verdes e reservatórios que captam água da chuva para sua irrigação.

    Verdadeiro destaque para os consumidores é a oferta de espaços verdes em um grande centro urbano como Hong Kong. A mudança permite comprar produtos de suas marcas favoritas em um ambiente que oferece luxo e arte aos visitantes.

    Está planejando ir para Hong Kong? Conheça nossas dicas de passeios turísticos que valem a pena na região.

    Referências
    Fernando França

    Fernando França

    Formado em Gestão Empresarial, apaixonado por Design, escritor por vocação. Fernando tem mais de 7 anos de experiência gerenciando e desenvolvendo negócios na área de Gastronomia. Eterno pesquisador de tendências, devora informações sobre projetos que unem estética, função, empatia e sustentabilidade. Veio ao projeto Dona Arquiteta para contribuir com o que pode haver de melhor sobre o assunto.

    Mais posts

    Comentários(0)

    Publique um Comentário