Itália

Itália

Conheça alguns dos lugares mais interessantes da Itália a partir do olhar da Dona Arquiteta: dos melhores designs aos melhores sabores.

71 Matérias Publicadas

Descubra porque a Itália é um dos países mais visitados do mundo | Foto: banco de imagens (reprodução)

A Itália é um destino onde é possível ter acesso a uma variedade imensa de culturas. Diferente do que se imagina, a Itália não é uma só: são várias.

Neste guia, apresentaremos as principais atrações deste país europeu — um dos que mais recebe turistas no mundo inteiro — e muitas informações para aqueles que já estão planejando sua viagem para a Itália, desde dados básicos aos principais destinos italianos.

Quer ir direto ao assunto que mais te interessa? Se guie por aqui:

 

As paixões que nos levam para a Itália

É importante lembrar que a Itália se formou a partir da junção de diferentes cidades-estados a não muito tempo (pouco mais de 150 anos atrás). São culturas que viveram por séculos sem uma noção de identidade como nação. Aliás, é famosa a frase “Criamos a Itália e agora precisamos criar os italianos”, proferida pelo intelectual Massimo d’Azeglio nessa época.

A vantagem? Lugares com formas extremamente diferentes de se viver, cozinhar, construir, aproveitar a vida e ver o mundo em um único país.

Inegavelmente, alguns lugares se destacam mais que outros. A beleza de cada lugar depende muito do olhar e das paixões do viajante.

Então fica o pensamento: quais paixões nos levam à Itália?

Pensando em como responder tal pergunta, mapeamos os principais motivos que atraem tantos viajantes apaixonados ao país da bota.

Montaione, na Toscana - onde ficar e ir na Itália
Paisagem em Montaione, na Toscana | Foto: Banco de imagens (reprodução)

A gastronomia

O legado italiano no mundo dos sabores vai muito além das massas – onde, diga-se de passagem, são especialistas – e cada região reserva suas próprias delícias.

Foodies – os modernos gourmets – se sentirão tentados a visitar a região da Toscana, com as especialidades regionais como o queijo pecorino e a grappa. Além, de claro, a possibilidade de conhecer vinhedos e plantações de oliveiras com alguns dos melhores azeites do planeta.

Outro destaque é a Úmbria, rica em sua culinária especializada nas trufas negras e os vinhos de Vêneto. Para os mais curiosos, é possível aprender a fazer o próprio vinho em Chianti (ainda na Toscana) ou se aventurar nas montanhas em busca das trufas brancas de Piemonte.

E repare que nem falei das pizzas de Nápoles.

Trufa Negra - Cozinha e culinária da Itália
Coleção de trufas, fungos muito utilizados na culinária italiana | Foto: banco de imagens (reprodução)

Saiba mais:

  • Restaurantes em Turim

 

A atmosfera romântica

Ambientes acolhedores, feitos especialmente para serem vividos em par, estão por toda a Itália. É como se o país tivesse decidido se especializar no tema e conseguisse sucesso em cada detalhe.

Por isso é possível ter momentos incríveis a dois em ambientes urbanos – Veneza para que te quero – ou doçura do campo nos inúmeros vilarejos ao longo da Úmbria. Aliás, as vilas italianas são muito requisitadas para casamentos de casais de todas as partes do mundo.

Verona, Vêneto - uma das cidades mais românticas da Itália
Verona é considerada uma das cidades mais românticas do mundo | Foto: banco de imagens (reprodução)

História registrada a céu aberto

A Europa já passou por bons e maus bocados. E cada grande evento na macro política europeia partiu ou teve reflexos intensos nos territórios italianos.

Partiu do rio Tibre, o povoado que daria origem ao centro do grande Império Romano do qual a capital italiana guarda a história em cada detalhe. Séculos depois, a renascença florentina domina toda a região da Toscana, toda a península e então a Europa como um todo — um movimento artístico que ainda guarda fôlego nas artes e arquitetura da cidade.

Poucos séculos depois seria vez da Itália se destacar com a triste marcha dos fascistas de Mussolini sobre Roma. Tal evento teria como consequências a entrada da Itália na grande guerra, com grandes vestígios de batalhas na conhecido Monte Cassino e o curioso cruzamento com a história brasileira a partir dos soldados brasileiros que lá lutaram (os Pracinhas).

Cada um desses eventos, e dezenas de outros, permanecem em velhas muralhas, paredes, esquinas, teatros e outros edifícios históricos. Com especial atenção à Roma, onde cada canto que seus olhos pousam parece só ser um preparo para uma decolagem ao passado.

Narni, cidade medieval na Úmbria - Itália
Rua em Narni, uma cidade medieval localizada na Úmbria | Foto: Francesco Bonino (reprodução

O Vaticano

Por mais superlotada e especialmente estressante para turistas desavisados, a capital da fé católica ainda atrai milhares de visitantes todos os anos.

A história humana também está marcada nas paredes desta localidade que – por incrível que pareça – não é parte da Itália, mas sim um Estado Soberano e independente. Mas o destaque está no impacto que grandes obras deste pequeno enclave têm sobre a espiritualidade de quem as vê bem de perto.

Obras como a Capela Sistina ou a Praça de São Pedro.

Estátua de São Pedro, no Vaticano - Itália
Estátua de São Pedro, no Vaticano | Foto: banco de imagens (reprodução)

Arte, design e arquitetura

Da capital renascentista italiana nasceu o nome de uma curiosa doença. Chamada de ‘Síndrome de Florença’ acomete aqueles que — atordoados com tamanha variedade, grandeza e beleza das obras de arte — se veem vítimas de tontura, desmaios e até mesmo alucinações!

A doença parece uma piada para qualquer um que não tenha visitado uma região que guarda tantas obras de arte por metro quadrado, mas é fruto do quão incrível sua existência é.

Florença guarda obras de grandes artistas como Da Vinci, Michelangelo e Caravaggio. Mas também reserva peças monumentais através da arquitetura. Aliás, a arquitetura antiga italiana também se estende a outros lugares como Bolonha, Veneza e Verona.

Mas, se sua intenção é conhecer o que a modernidade italiana oferece em termos de arte, vá à Milão. É lá que acontecem alguns dos eventos mais importantes do mundo no campo da moda e do design — como a nossa já tão comentada semana de design com o Salone del Mobile e o Fuori Salone.

Fuori Saloni - Distrito de Brera fechado para o design Week
Bairros inteiros de Milão se fecham durante Abril para o Fuori Saloni | Foto: Brera Design Week (reprodução)

A variedade de cenários

Por fim, se a rica intervenção humana – na cultura italiana – não te convenceu, ainda temos mais motivos.

As ‘pequenas Itálias’ também se distinguem pela paisagem. No norte italiano, bem na fronteira, há os alpes italianos com suas montanhas de gelo e caminhos secretos. Sardenha e Plugia possuem praias de areia branca e águas cristalinas, tão belas quanto as da chamada Riviera Italiana (as mais badaladas, na costa da Ligúria).

Fugindo das praias movimentadas, a Itália ainda oferece alguns dos lagos mais belos do mundo – com especial destaque para o luxuoso Lago de Como e o Lago de Garda.

Não podemos nos esquecer das outras paisagens já mencionadas. Como os campos preenchidos de vinhedos da Toscana e Úmbria. Dos magníficos centros urbanos como Roma e Milão. Ou até mesmo dos pequenos vilarejos históricos como Noto.

Lago de Garda - Italia
Lago de Garda, o maior da Itália | Foto: Nicola Simeoni (reprodução)

Informações básicas para os viajantes para a Itália

Idioma

Predomina o italiano, o idioma nascido na Toscana e que se distribuiu pelo país, mas muitas regiões possuem um segundo idioma oficial. Tais línguas regionais, como o ladin e o sardo não chegam a impactar diretamente a experiência de viagem quando você visita os destinos comuns de turistas.

Nos centros das cidades turísticas, é possível se comunicar facilmente com o inglês e, pela proximidade com a língua, é possível arranhar uma comunicação básica com espanhol e português.

Moeda

A moeda oficial na Itália é a mesma do restante do bloco europeu, o Euro (€). A Itália é um dos destinos em que é pouco recomendado seguir viagem com dólares, por isso o ideal é se organizar para trocar a moeda.

Seguro-viagem

É obrigatório de acordo com o Tratado de Schengen da União Europeia. Aliás, se está precisando de um, deixamos fácil uma ferramenta que te ajuda a pesquisar o melhor preço:

Melhor estação

A recomendação é visitar a Itália durante a primavera, que vai de Março à junho, ou no outono, que vai de Setembro à Outubro. Nestes períodos, em especial na primavera, você encontra preços equilibrados e temperaturas amenas.

Mas evite sempre viajar para a Itália durante o mês de agosto. Os italianos tendem a sair coletivamente de férias durante este mês, esvaziando muitas cidades do interior e lotando a costa. Com isso, os preços inflam nos destinos mais procurados e muitas empresas fecham em outros lugares.

 

Os principais destinos na Itália

 

Nesta etapa do guia completo para viagem à Itália, iniciamos nossa exploração pelo território. Destacamos aqui os mais conhecidos destinos da nossa querida bota europeia, como chegar em cada um e as principais atrações de cada lugar.

Nápoles

Rua de Nápoles, Itália
Rua de Napoli, na Itália | Foto: Paolo Franzese (reprodução)

Nápoles é uma cidade que divide, inclusive em discussões apaixonadas, a opinião dos turistas que a visitam.

É uma cidade com inúmeras ruelas estreitas, formadas pelas costas de antigos edifícios de paredes pichadas. Elas se encontram em grandes calçadões de paralelepípedos por onde cruzam tanto pedestres quanto motocicletas. Um caos de trânsito que se soma aos perigos das armadilhas para turistas e ladrões à espreita. Reflexos de uma Itália que foi duramente ferida pela passagem das crises políticas e financeiras do último século.

Mas Nápoles também é lar de um povo brincalhão, carregado de energia, uma rica gastronomia (referência sobre o que é culinária italiana e pizza) e uma autenticidade urbana raramente encontrada nos principais destinos turísticos europeus.

Não recomendamos visitar Nápoles para quem tem pouco tempo, mas sim para os que adotaram o estilo slow travel enquanto viajantes. Há recantos muito charmosos na cidade e destinos memoráveis nos seus arredores como Pompéia, Ilha de Capri, Amalfi, Sorrento e o Monte Vesúvio.

E fica aqui uma curiosidade: Nápoles tem relação direta com a imigração italiana ao Brasil, pois partiram do Sul (em especial desta cidade) a grande maioria dos imigrantes.

Confira algumas das nossas matérias sobre lugares incríveis na região de Nápoles:

Roma

Escadaria em Roma, viagem na Itália
Escadaria em Roma | Foto: Ho visto nina volare (reprodução)

Roma é o centro do que outrora foi um império que dominou por mais de um milênio a cultura europeia. A cidade passa a impressão de ser justamente um museu a céu aberto de todas as grandes fases artísticas, religiosas e políticas que percorrem a história dos povos italianos.

Mesmo hoje, Roma ainda tem uma forte influência na maneira de pensar de pessoas do mundo inteiro e reúne algumas das mentes mais brilhantes do planeta em termos de arquitetura, como a equipe do Studio Fuksas.

Do outro lado do rio Tibre, o Vaticano também atrai inúmeros visitantes em busca de maior contato com sua fé através da arte católica.

Independente de qual lado de Roma te convida, saiba que é um destino para caminhadas longas. Mantenha um bom tênis por perto e a garrafa de água cheia, motivo para andar não vai faltar em um lugar em que cada passo e olhadela vale a pena.

Para Comer & Beber:

Para se hospedar:

Para conhecer e comprar o design italiano:

Museus e passeios incríveis em Roma:

 

Florença e região da Toscana

Florença, capital da região da toscana - onde ficar na Itália
Florença, capital da região | Foto: Carollina Li (reprodução)

A região é estratégica para quem está fazendo um roteiro que cruze boa parte da Itália, já que se situa entre os principais destinos italianos (Milão, Roma e Veneza).

Por vezes comparadas com a grande Roma, a capital da Toscana (Florença) não tem o mesmo tamanho ou robustez histórica, ainda assim impressiona já que quase metade do acervo artístico italiano está concentrado nesta única cidade.

A partir de Florença é possível partir de carro facilmente a outros destinos culturais muito procurados, como a Torre di Pisa ou a muralha de Lucca – que pode ser percorrida pedalando.

O grande diferencial da Toscana é essa combinação de urbanidades afinadas na arte com cenários bucólicos como colinas, cidades medievais e vilarejos pacatos e floridos. É um destino onde, com um carro alugado, se permite uma infinidade de roteiros.

Para comer & beber:

Para se hospedar:

Para visitar e passear:

Úmbria

Vilarejo na Úmbria, um dos recantos mágicos onde ir na Itália
Vilarejo na região da Úmbria | Foto: banco de imagens (reprodução)

A Úmbria é uma região que se assemelha muito, geograficamente, à região da toscana. Também será um encontro com colinas verdejantes, lagos e destinos bucólicos. Apesar de não conter o mesmo glamour – o que felizmente impacta em uma viagem mais econômica – a Úmbria reúne muita arte e vilarejos históricos.

Um traço marcante da região é a religiosidade, muito influenciada por personagens históricos que tiveram grande impacto religioso como Clara e Francisco de Assis.

Tais componentes fazem da Úmbria uma região singular na Itália, recomendada para quem busca viagens mais serenas e simbólicas.

Onde se hospedar:

Piemonte

Fotografia da comuna de Barola, na região de Piemonte (Itália) - por Stefano Gandini
Outono na comuna de Barolo, no Piemonte | Foto: Stefano Gandini (reprodução)

A região do Piemonte tem traços de identidade bem sofisticados. Está localizada em uma região especial, que cruza as frias montanhas dos alpes com os ventos mediterrâneos. Piemonte está próximo na fronteira entre França e Suíça.

É desta região que encontramos alguns dos principais representantes italianos no Guia Michelin, tal como os renomados vinhos Barolo e a tradicional caça às trufas brancas. Tais aspectos culturais se distribuem entre urbanidades ternas e pouco movimentadas – mesmo durante o verão.

Única exceção à tranquilidade piemontesa é Turim, sua capital. Ela é para a arte contemporânea italiana o que Florença é para a arte renascentista: um centro cosmopolita com cultura efervescente.

Por sinal, temos um roteiro pronto de passeios em Turim.

Onde Comer & Beber:

Onde ficar:

Milão

Prédios de arquitetura moderna na cidade de Milão, um destino moderno onde ir na Itália
Milão é um centro de arte moderna, da arquitetura à moda | Foto: Tommy Picone Fotografia (reprodução)

Milão se tornou um dos principais centros globais do design e da moda. Tal conquista é fruto da histórica cultura artesã da cidade, por incentivos governamentais na segunda metade do século passado e pela popularidade da cidade.

Em Milão acontecem os principais eventos mundiais quando falamos de decoração, arquitetura, joias, teatro, moda e na comunhão entre arte e cotidiano. Em função disso, é uma cidade pelo qual nutrimos grande carinho e você encontrará muito conteúdo por aqui.

Onde Comer & Beber:

Onde ficar em Milão:

Lojas para conhecer em Milão:

Lugares e eventos para visitar em Milão:

Sardenha

Cala Goloritzé, praia italiana na cidade de Baunei, Sardenha
Cala Goloritzé, praia em Baunei | Foto: Tim & Elisa (reprodução)

A Sardenha é uma ilha, que fica a duzentos quilômetros da Itália. É uma região bem singular, mesmo para os tantos regionalismos italianos. A ilha foi sucessivamente perseguida por invasores europeus de todo tipo, o que fez sua população optar por povoar o interior da ilha.

Com isso, houveram dois resultados: uma rica cultura camponesa com uma forte identidade (ao ponto que o sardo, língua histórica local, disputa como língua oficial junto ao italiano) e uma costa de águas azuis límpidas quase intocada.

Verdade seja dita, a Sardenha só passou a entrar na rota de destinos internacionais por conta do milionário líder dos ismaelitas, Karim Aga Kha, que se apaixonou pela flora e fauna local na década de 1960. A partir daí este paraíso desconhecido começou a receber grandes investimentos e passou a ser visitado por turistas internacionais.

Onde Comer & Beber na Sardenha

Região da Basilicata

Vilarejo de Matera, região da Basilicata, no sul da Italia - Fotografia por Paola Sucata
Vilarejo ancestral em Matera | Foto: Paola Sucata (reprodução)

A Basilicata é uma região pouco conhecida pelos turistas. E a segunda menos visitada, perdendo apenas para Molise. O fato é que a região, dividida entre as províncias de Potenza e Matera, oferece opções turísticas que fogem dos roteiros tradicionais.

A Basilicata é mais conhecida pela comuna de Matera – que também dá nome à província onde está localizada – que possui um centro histórico inteiramente esculpido em rochas vulcânicas.

Outra atração histórica famosa de Basilicata fica na mesma província e se trata da zona arqueológica de Metaponto – uma antiga cidade grega – onde é possível conhecer os ‘Tavole Palatine’ (ruínas de um templo dedicado à deusa Hera e ao deus Apolo).

Onde ficar na região da Basilicata:

Sicilia

Rua de cidade na região da Sicília, na Italia - Fotografia por NIcolas Mirguet
Sicília, Itália | Foto: Nicolas Mirguet (reprodução)

A Sicília sofreu influência de inúmeros outros povos, em especial os árabes, normandos e romanos. Por isso é comum encontrar uma rica culinária com ingredientes conhecidos de outras regiões como o cuscuz, o bacalhau e o vinho. Cada comuna ou vilarejo apresentará tradições próprias.

Além da gastronomia, a enologia, os sítios arqueológicos e praias luxuosas compõe o cenário que faz da Sicília um dos destinos mais visitados da Itália. Sobre essas últimas, estão distribuídas nas inúmeras linhas ao longo da costa siciliana e com diferentes características, com destaque para as praias de areia em Palermo.

Os normandos influenciaram bastante a arquitetura da Sicília, em especial na construção de suas catedrais. Um em especial, a de Monreale (próxima a Palermo), é famosa por seus mosaicos de ouro puro, piso de mármore e colunas finamente detalhadas.

Como se vê, a Sicília é um destino essencial para viajantes que busquem experiências culturais ricas.

Onde se hospedar na região da Sicília

Trentino Alto Ádige

Visão panorâmica das montanhas na região de Trentino Alto Ádige,
Montanhas da região | Foto: Giuseppe Milo (reprodução)

A região, que faz fronteira com a Áustria e a Suíça, é a mais da Itália. As temperaturas em Treino Alto Ádige já chegaram a -49,6°C na altura de Pale di San Martino.

Trata-se de uma região montanhosa muito pouco povoada e, ainda assim, preserva 11 da lista dos vilarejos mais bonitas da Itália (uma relação oficial do governo italiano) e tem as montanhas Dolomitas como patrimônios da UNESCO.

Para quem busca frio, estadias de altíssimo padrão e contato com celebrações culturais ancestrais, a região de Trentino Alto Ádige é uma ótima escolha.

Onde se hospedar na região de Trentino:

Lugares para visitar em Trentino:

Apúlia

Cidade de Salento, na costa da Puglia - sul da Itália
Salento, na costa da Púglia | Foto: Dauno Settantatre (reprodução)

Mais conhecida internacionalmente como Púglia (como os italianos a chamam), é um dos destinos mais procurados pelos italianos durante o inverno – aqui o clima é mais quente que o restante do país nesta época.

Já os turistas habituais procuram a Apúlia por suas lindas praias de areia, cenários marcados por vilas tradicionais de pescadores e o contato com a natureza através do Parque Nacional do Gargano.

Onde se hospedar na região da Apúlia

Lagos Italianos

Casa tradicional à margem do Lago Carda, na altura da cidade de Solò na Itália
Casa de vilarejo em Sòlo, cidade que margeia o Lago Garda, na Itália | Foto: Dvdbramhall (reprodução)

Apesar de não ser necessariamente uma região da Itália, como os anteriores, acreditamos que mereçam um destaque especial. Se o sul da Itália é riquíssimo na oferta de praias paradisíacas, o grande do destaque no norte do país são os grandes lagos.

São lugares muito especiais que, cada vez mais, recebem turistas internacionais em busca de tranquilidade, ambientes românticos e sofisticados. Conheça alguns dos lugares especiais que selecionamos neste cenário:

referências

*Atenção: Preços tomam como base a data de redação deste conteúdo. Podem sofrer alterações a qualquer momento e sem aviso prévio.

 

Scroll to Top